Mitos e verdades sobre Cuba...


Comecei o ano com uma viagem incrível e "curiosa" onde tive conversas surpreendentes e muita expansão da mente. Passei a primeira quinzena de Janeiro em Cuba essa foi a minha primeira vez em um país socialista, pensei "como começar a escrever sobre essa viagem?" 

Viajar é cultura, mas o país de Fidel vai além, acredite, realizei várias pesquisas, conversei com cubanos de todas as cidades e profissões diversas, sobre absolutamente tudo, desde politica e economia até charuto e meio ambiente. Resolvi então começar expondo aqui meus pontos de vista e, é claro, a MINHA percepção sobre os fatos.



  1. É verdade que em Cuba só se vende livros sobre a cultura local e Fidel e Che? Mito! A maioria dos turistas acabam tendo contato apenas com esses livros pois estão expostos nas bibliotecas e isso, claro, porque nas feirinhas e livrarias turísticas é o mais procurado, afinal é o conteúdo da cultura local (oferta e demanda), já que quem está indo para Cuba vai querer comprar livros locais. Já nas faculdades e bibliotecas, pode ser encontrado uma diversidade de livros. Um outro fato interessante é que em uma conversa com moradores, falamos muito sobre história politica de outros países, poderia até dizer que eles falaram melhor sobre a história do Brasil do que muitos brasileiros, entendem muito sobre a geopolítica mundial.
  2. Existe uma ditadura em Cuba? Mito! Cuba vive uma democracia socialista, o povo cubano vota para eleger seus políticos e existem alguns candidatos, PORÉM, só existe um partido, o partido socialista. As pessoas não são presas por expressar seus pontos de vista, mesmo que eles sejam contrários a politica local. As pessoas podem sair e até morar em outros países por algum tempo, a única ressalva é de voltar em até dois anos, caso contrário, abririam mão de sua cidadania cubana.
  3. Tem censura em Cuba? Mito! Não existe censura a manifestações culturais ou a livros, a internet também é livre. O cubano pode pesquisar e assistir o que quiser na internet, as pessoas podem se expressar em conversas com a certeza de que não sofrerão retaliação por isso. Existem jornais cubanos que relatam o que está acontecendo no mundo inteiro, inclusive, assistimos a alguns enquanto estávamos no país e estavam questionando a situação na Venezuela, por exemplo.
  4. O povo cubano adora os brasileiro? Verdade! Os cubanos amam os brasileiros, nunca me senti tão bem recebida em um país devido a minha nacionalidade como em Cuba, geralmente o brasileiro não é tão bem visto, mas lá nós somos “Hermanos”. Claro que isso não nos da carta branca para agir da maneira que quisermos com as pessoas ou pelo país, mas já é uma informação bastante importante saber que somos bem vindos. O povo cubano possui uma identificação com a história e cultura do Brasil e falam muito sobre o povo brasileiro ser batalhador, sobre ter sido explorado, sobre a miscigenação, a simpatia e a maneira boa de ver o mundo mesmo nas dificuldades e eu devo concordar com eles, temos muitos pontos parecidos. Ah,, claro, eles amam nossas novelas e, diferente dos outros países, somos mais conhecidos pelas novelas do que pelo futebol.
  5. Cuba é um país muito machista? Verdade, infelizmente! No tempo que estive em Cuba, pude perceber bastante o assédio nas ruas, isso de forma geral, mas principalmente por brasileiras. Acabei vivendo isso na pele e foi, talvez, o que realmente me incomodou em Cuba, até por ter sido mais intenso do que qualquer outro país que eu já visitei. Em geral, quase não se vê as mulheres ocupando cargos de liderança, como ídolas da história ou mesmo exercendo algumas funções como taxista, legalmente elas deveriam receber a mesma coisa que os homens mas, não muito diferente do Brasil, acredito que não funcione assim. Conversamos muito sobre esse ponto negativo e voltamos para casa falando que a próxima revolução deveria ser feminista.
  6.  Cuba tem uma das melhores educações do mundo? Verdade! Cuba erradicou o analfabetismo desde a época de revolução cubana,quando todas as escolas se tornaram públicas. Visitei algumas escolas e faculdades locais, a estrutura é ótima, eles não possuem a modernização digital nas escolas como aqui mas nas faculdade sim. Os professores possuem todos os recursos para ensinar, são valorizados e respeitados, nossa amiguinha que era a filha da moça que estávamos hospedadas nos contou que são muito exigentes, as crianças sabem muita coisa. Senti uma linha construtivistas onde, além de aprender os fatos, as crianças aprendem a ter sua própria opinião e questionamentos estimulando a criatividade. Já as faculdades, aparece como uma opção para qualquer cidadão que desejar se especializar em alguma profissão, não existe vestibular já que todos possuem educação por igual, todos são capazes. Ao entrar na faculdade, o aluno tem internet 24 horas para acrescentar em seus estudos.
  7. Como é o mercado de trabalho de Cuba? Como todos possuem uma boa educação e podem ir até o ensino superior, é obvio que não terá emprego na área para todos, a grande maioria vai acabar trabalhando em outras funções, mas lá não existe a questão do "status", já que todos ganham mais ou menos a mesma coisa e tem educação superior acessível a todos. Eles possuem a ideia de que todo mundo tem mais de um  talento, alguns médicos trabalham como taxistas e lá isso não é um absurdo, alguns revezam, alguns dias como médicos e outros como taxistas, por exemplo. O mercado do turismo tem crescido muito por lá, atualmente a maior economia do país é do turismo, então muita gente migra para essa área.
  8. É mesmo uma das melhores saúdes do mundo? Verdade! A melhor saúde, ao meu ver, é aquela que é para todos, com bons profissionais e recursos básicos para salvar, curar e cessar a dor de alguém. Em Cuba, existe uma certa dificuldade em ter alguns remédios e computadores, não por não poder comprar, mas pelo embargo dos estados unidos. A saúde em Cuba é muito respeitada e existem até histórias de pessoas que saíram do Brasil para fazer tratamento lá, mas mais do que isso, os médicos são surreais de bons, os profissionais da saúde escolhem a profissão por amor ao ser humano e isso faz toda a diferença. Uma amiga minha precisou ser atendida por eles enquanto estava lá e foi só elogios pelos médicos.
  9. Cuba é um país bom para o grupo LGBT? Hmm... Gostaria muito de dizer que sim, mas existem muitos atrasos na legislação que me mostraram de cara que ainda é necessário muita mudança. Bom, na lei, não é proibido ser ou demonstrar até porque se fosse eu não teria ido, mas é proibido casar e adotar, por exemplo. Ao conversar com alguns moradores, percebi um tom conservador, percebi que existe um costume em falar mal da comunidade LGBT e não aceitar. De contrário com tudo isso, vi casais, alguns turistas e outros cubanos, não presenciei nenhuma cena ruim mas me parece que Cuba tem aquele preconceito velado. Existem alguns bares e boates gays, além de um ponto onde a galera se encontra no "Malecon", mas tudo isso só em Havana que é a capital. O curioso é que me emocionei justamente com uma cena que vi lá, conheci uma família linda no ônibus, eram dois rapazes e seus dois filhos, gostaria de ter conversado mais com eles sobre isso mas não tive tempo, um era brasileiro e o outro cubano, foi emocionante ver a família do cubano vindo falar com netos e um momento de abraços e matar saudade, achei lindo. Todo ano acontece a parada gay em Havana.
  10. Transporte é um problema? Verdade! Quer dizer, é verdade que os turistas brasileiros possuem uma certa dificuldade de locomoção pela capital, não pela oferta pois existem muitos meios de transporte em Havana, mas pelo preço, como a maioria dos turistas de Cuba são europeus os preços são feitos para quem recebe em euro. A maioria dos moradores de Cuba usam o ônibus convencional, nós só não usamos pois todos as pessoas que conversamos sobre pegar ônibus disseram que íamos esperar muito tempo e perderíamos nosso dia de passeio mas, sinceramente, não acho que isso é 100% real, pelo que eu entendi para se locomover com o coletivo precisamos entender sobre ele, as paradas e o tempo de passagem. Ao contrário do que li antes de viajar, não vi ônibus lotados. Gostaria de ter tido essa experiência.

E, então pessoas, essa foi um pouco do meu olhar e minha vivência em Cuba, que é um país que proporciona momentos e trocas muito peculiares para cada viajante, depende muito do que você leva como sua identidade pessoal, cada um vai ver Cuba em um prisma diferente, e eu só tive mais certeza de que é um país modelo, um país que merece ser reconhecido e valorizado por todos seus avanços sociais. Até o próximo post!

You Might Also Like

0 comentários

C A B E + D O I S


Compartilhando amor e experiências!