Aldeia Hippie de Arembepe - Bahia


Arembepe é um distrito de Camaçari e fica a, aproximadamente, 50 km de Salvador. Um lugar
de visuais fora do comum para os moldes atuais e não muito conhecido por turistas tradicionais. A grande maioria dos visitantes, acabam ficando pela Praia do Forte, que é lindo demais, porém o que encontramos em Arembepe é bem diferente do que é encontrado nos pontos mais turísticos da Bahia.

Um lugar pacato com poucos moradores locais, muitas pessoas passam por Arembepe, o que poucos sabem, é que lá no fundo, depois da praça e dos restaurantes caseiros, em meio a um caminho de areia, se encontra a Aldeia Hippie de Arembepe.


O LUGAR | A fama de Arembepe se deve a aldeia hippie instalada sobre as dunas, à beira do Rio Capivara, desde a década de 60. Atualmente, é considerado o lugar mais hippie do Brasil, já que conseguiu manter suas características desde a década de 60.

São cabanas rústicas feitas com pedras ou barro e cobertas de taipa, rodeadas pelas piscinas naturais formadas pelos recifes da praia, sem energia elétrica e água encanada. Os visitantes aparecem para conhecer o modo de vida peculiar da aldeia, ali todos se esquecem da correria cotidiana e se entregam a liberdade. Ao som de Caetano, Raul, Gil e Janis Joplin poderá tomar um banho no Rio Capivara, que é morno e limpo.



Eu, uma pessoa apaixonada pela cultura e ideologias hippies, sempre que viajo de mochila pelo mundo, decido procurar a aldeia hippie do país que estou visitando, não seria diferente com minhas viagens pelo Brasil, não é mesmo? Até porque, a Bahia é meu Estado também, visto que minha mãe é
baiana e todos os anos da minha infância, passei as férias de verão por lá. Coisa chata né?

Esse desejo por encontrar esses lugares é bem atípico para a maioria das pessoas, mas é importante para mim, quem sabe na vida passada eu não fui hippie. Hahaha


No Rio de Janeiro, temos Sana como o lugar mais Hippie do Estado, que pretendo visitar futuramente, e estarei contando tudo por aqui. Mas já escutei falar que no Brasil nenhum lugar hippie se compara a aldeia na Bahia. Seria o paraíso dentro de outro paraíso?

É importante dizer que os moradores da aldeia vivem, em sua maioria, da arte e do artesanato, então compre algo! Além da beleza, da lembrança e da energia que o objeto feito a mão tem, você ainda estará ajudando a galera a se manter. Acreditamos que viajar é uma necessidade para expansão da mente, então vamos apoiar a vida nômade também.


Quando estive lá, em 2013, eles me contaram que a prefeitura esta sempre querendo intervir na aldeia de alguma forma. Vamos apoiar a Aldeia para que nunca acabe. Em seu auge, lá por 1970, recebeu personalidades mundialmente famosas como Janis Joplin, Mick Jagger, Roman Polanski e os Novos Baianos.

A galera é muito receptiva, muita paz e amor, para vocês terem noção, fui convidada a entrar na casa de cada um deles enquanto me contavam suas histórias, a história da aldeia, e me mostraram seus trabalhos. Finalizei o dia sendo convidada a ficar para o parabéns de uma das crianças do local, foi maravilhoso estar ali com todos eles aquele dia.



Em Arembepe também acontecem festas com música e fogueira, como o Festival da Primeira Lua Cheia de Janeiro, celebração anual inspirada no festival de contracultura Woodstock, que marcou gerações. Durante os dias do festival, os moradores arrecadam alimentos e livros para a comunidade local.

Próximo a Aldeia, tem uma sede do Projeto Tamar, com áreas cercadas para proteção aos ovos das tartarugas marinhas. Os animais são soltos no mar de dezembro a fevereiro. A Aldeia conta com espaço para camping, restaurantes, uma escola e a feira de artesanato. Também é possível se hospedar nas casas do pessoal, mas lembre-se: não há energia elétrica, apenas energia que emana de boas vibrações.


COMO CHEGAR | Fui a Arembepe saindo de Salvador, a capital da Bahia, peguei uma van que vem escrito Praia do Forte em frente ao Shopping Iguatemi e fui direto à cidade de Camaçari. A viagem demorou em torno de 1 hora.

Ao descer da van, você irá ver um balcão de informações turísticas, pergunte ali como chegar a pé na aldeia, eles lhe darão um mapa e não tem erro, é bem fácil, até para mim que tenho tendência a me perder, ainda mais com mapa! Caso vá de carro, é só seguir a estrada linha verde.

QUAL TIPO DE VIAGEM? É uma experiência enriquecedora para quem valoriza esse estilo de vida, para viajantes mochileiros que enxergam a beleza na simplicidade. Uma pessoa mais urbana pode não apreciar o dia e achar perda de tempo. Como fui com a minha mãe que é extremamente "perua" pude perceber a diferença, ela acabou voltando para Salvador enquanto eu fiquei para passar o dia por lá.


CURIOSIDADES:
  • Janis Joplin perambulou com uma garrafa de cachaça por essas bandas, fez amigos, curtiu dias ensolarados na praia e, dizem, até arrumou um amorzinho de verão. Acreditam? 
  • O restaurante mais famoso é o Bar do Roque, que serve porções e um delicioso prato de peixe, carne ou frango. 
  • A casa 44 é uma das mais antigas da aldeia, onde atualmente mora o artista plástico Luiz Cerqueira. Desde sua criação, o local já foi visitado por mais de 80 mil pessoas.
  • O Projeto Tamar em Arembepe tem uma área de visitação com alguns tanques com tartarugas cabeçudas, olivas, pentes e verde, e tem o valor do ingresso bem mais em conta que as outras sedes.

O QUE LEVAR:
  • MUITA água
  • Dinheiro para comprar lembrancinhas e aproveitar a comida caseira dos restaurantes
  • Roupas confortáveis e roupa de banho
  • Chinelo para caminhar em areia
  • Chapéu, protetor solar e óculos escuros

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.