O deserto do Atacama e nossa experiência como casal LGBT

Bandeira do Arco Íris no Valle del Arcoiris - Atacama

O Atacama, tecnicamente, não é um destino exclusivamente gay pois não existe estabelecimentos destinados a esse público, mas é bastante caloroso com essa galera. E é bem isso que queremos, inclusão e respeito, e não separação, fazer parte é a ideia. E o deserto mais seco do mundo é terra de qualquer pessoa de bom coração.

As vezes, quando eu falo do Atacama, parece que estou falando do paraíso, mas não é mentira e nem exagero, o Atacama é tudo isso e muito mais. San Pedro não é apenas bem receptivo com o público LGBTQ, ele é inclusivo, conosco e com qualquer outra minoria. Os pensamentos políticos e sociais das pessoas que encontramos por lá, são bem questionadores, tanto dos moradores, quanto dos viajantes que são, em sua maioria, mochileiros.

O Atacama, a princípio, não é uma viagem de luxo, apesar de atualmente existir opções de agências e hospedagens mais sofisticadas, a ideia principal do lugar, continua sendo nos apresentar as belezas naturais mais incríveis que já vi na vida. No Brasil, podemos conhecer e admirar uma natureza exuberante e linda, porém bem diferente do que encontramos lá. Em San Pedro de Atacama, o ponto principal do deserto, onde estão todos os bares, restaurantes, mercadinhos e pousadas, encontramos uma boa recepção para o público LGBTQ, pois o lugar e as pessoas são bem gentis e desconstruídas de uma forma geral.

Imagina um lugar paz e amor, onde as diferenças são respeitadas... Parece um sonho, mas foi essa a nossa experiência. Com uma população bem pequena, boa parte das pessoas, aparentam seguir pensamentos livres e alternativos. Nas ruas, vemos alguns casais gays andando de mãos dadas tranquilos e a vontade, a ponto de não se sentirem inseguros.

Em todos os estabelecimentos que fomos, nos sentimos confortáveis, mesmo que o ambiente não fosse exclusivamente gay, era um lugar de todos, e não percebemos nenhum olhar de reprovação. Ao nosso redor, a menina tem cabelo colorido, a garçonete é tatuada, o atendente usa dread, e tudo bem, todos iguais.

Em San Pedro você não encontra muitos chilenos, é um lugar sem fronteiras, não existe uma nacionaldidade que prevalece, o que prevalece são pessoas calorosas e animadas, sejam eles italianos, franceses, portugueses, brasileiros, argentinos, colombianos, canadenses, ou pessoas de qualquer outro lugar do mundo. É um lugar onde misturam suas culturas e respeitam/se interessam pelo diferente.

Bar Lola, no Atacama

Encontramos um restaurante que é gay-friendly, o Lola, um ambiente estiloso e moderno, onde acima de nossas cabeças, estão bandeirinhas do orgulho gay. É, também, o restaurante mais misturado do Atacama, onde todas as tribos se encontram em um sábado a noite para cantar um Karaokê. Se quiser conhecer, não se esqueça de pedir um pisco e uma mechilada. O Lola está localizado no cruzamento da rua Caracoles, a principal rua de San Pedro de Atacama, com a Toconao.

Para a galera do dinheiro, luxo e que deseja um tratamento diferenciado com LGBT, a agência Ayllu pode ser uma boa opção. Nós fizemos todos os passeios com a agência Flamingo e não tivemos nenhum problema com preconceito ou olhares estranhos. 

Em resumo, você será bem tratado por todo mundo lá. Nós, desconfiadas que somos, jogamos verde em todos os ambientes que passamos, andamos de mãos dadas e nos beijamos durante passeios e compras, tudo aprovado. O Atacama com certeza passou no teste. 

Leia mais: San Pedro de Atacama (dicas, agência, valores e mais)

7 comentários:

  1. "Em resumo, eles estão bem acostumados com a gente". Esse trecho do post me pegou, como se a comunidade LGBT fosse de outro mundo, fossem aliens interessados em colonizar a terra, seres estranhos e perigosos. Lamentável.
    Encontrar um lugar onde as diferenças são respeitadas é raro, acredito que as pessoas deveriam se conscientizar de que não é necessário aderir ao diferente, mas é imprescindível respeitá-lo!
    O Atacama é mesmo um lugar incrível de paisagens paradisíacas e de gente do bem. Uma ótima opção para as férias que vêm aí!
    Abraços 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Olá, Amilton, tudo bom? Nossa intenção com essa frase não era ofender e nem tratar LGBTs como aliens, sinto muito se ofendemos a ti, peço desculpas. Entretando, como casal homossexual que somos, sabemos que nem sempre um ambiente dito "gay-friendly" sabe como nos tratar. Alguns de seus funcionários etc podem ter alguma falta de tato ou comentários constrangedores e ofensivos, queríamos passar a ideia de um atendimento natural (como realmente deve ser, sempre!). Vamos corrigir essa parte do texto para que não ocorra outro mal entendido. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
    3. Não, não, eu que me expressei errado. O texto está ótimo. Quis dizer que é esse o pensamento de muita gente por aí, que é isso o que se dissemina pelos arredores. Mais uma vez, o post está incrivel! 😉

      Excluir
  2. Que coisa mais gostosa de se ver e saber! O Atacama parece realmente incrível, ainda mais quando respeita os LGBT, coisa muito importante e que infelizmente o Brasil ainda falha e muito. Nada como se sentir tranquilo para amar e ser amado mesmo em público né? Maravilhoso! Amei, Atacama, aí quero ir!

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    É realmente encantador ver um local tão diferente da nossa realidade aqui no Brasil, um país que entende e aceita a diversidade.
    Muita paz a vocês e muito amor também!

    ResponderExcluir
  4. Poxa, seu post me deixou com mais vontade de sair do país, adorei, e a propósito suas fotos são lindas.
    Beijos!!
    http://bel-somostaojovens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.